Terapia Transpessoal

 

Transpessoal significa – Além da alma.

Nossa consciência sempre reconhece os antigos significados da alma.

Mas, o que encontraremos para além do eu, do ego ou da pessoa? Acredito que muito mais do que podemos imaginar, com a nossa curta visão física, se usarmos a visão da alma com toda certeza nosso alcance será ilimitado.

A procura da essência ou de algo que supere a idéia que fazemos de nós mesmos, sempre fez e fará parte da humanidade. No templo de Apolo, em Delfos, existia uma bancada onde se lia seu bastante conhecido mandamento “conhece-te a ti mesmo”. Mas esse autoconhecimento significa muito mais do que supõem  todas as nossas técnicas terapêuticas.

Os antigos Caldeus procuravam esse autoconhecimento nos astros, onde liam as rodas dos destinos. Vamos também encontrar na idade média os alquimistas, que eram respeitados e considerados os cientistas daquela época, eles literalmente afirmavam para as pessoas que podiam transformar chumbo em ouro. Mas apenas as pessoas que não tinham maiores conhecimentos destes feitos não percebiam que a verdadeira transformação a qual os alquimistas estavam se referindo acontecia mesmo era no interior da mente, que se tornavam áurea, iluminada, autoconsciente. Meu ouro não é o ouro vulgar, dizia Hermes Trismegio.

Nossa época enalteceu demais o pensamento racionalista que bastante nos empobreceu. Assim destruímos o contato com aquela dimensão interior, importantíssimo que é a sabedoria. Desenvolvemos nosso raciocínio lógico, mas perdemos a chave da compreensão dos mistérios antigos, dos quais falam enigmaticamente os Vedas, os Evangelhos, o Bhagavad-Gita, a Cabala, a Yoga e muitos outros. Temos que refletir que nesses mistérios mora a chave da sabedoria. O conhecimento da união mística, que é a junção do ser com a sua mais pura essência.

A credito que estamos vivendo hoje um processo evolutivo crescente e consciente, sem chances para um retrocesso, pois estamos a beira de um grande salto quântico, inteligente para o espírito. Teilhard de Chardin, que foi um teólogo herege, que por muito pouco não foi expulso da Igreja, teve a percepção de que a vida esta em constante ascensão progressiva da consciência no caminho a um outro supra- humano, além e acima da visão individualista e limitada do eu e da realidade que nos cerca. Esta é a parte da fundamentação metafísica da transpessoal, a procura constante de uma superação da consciência comum, rumo a outros estados de percepção do real. Para que isto se torne de fato uma realidade é preciso um trabalho corajoso de desindentificação dos apegos, das crenças e dos padrões que limitam o ser humano de se tornar um ser muito mais expandido, mais amplo, na sua visão e mais abeto para as emoções e para o conhecimento. Esta é a conduta que vai definir a sua terapia, seu processo pedagógico, sua concepção de música, seu entendimento com a arte e com a criatividade. A procura da consciência transpessoal é algo muito semelhante a uma transformação alquímica da alma. Por este motivo se algo deve estar presente em todos os tratados de transpessoal deve ser a espiritualidade. É esta a sua contribuição para este milênio.

A transpessoal vem acrescentar, a uma terapia das profundezas, também podemos dizer terapia das atitudes, das mudanças de estilo de vida de pensamento, de respeito a si e ao próximo, de união com o todo, de amor integral. A espiritualidade já não é mais restrita a uma linguagem religiosa dogmática. Mas para que isso acontecesse foi preciso o resgate, o reencontro com antigas tradições místicas em seu encontro transdisciplinar com a ciência, para que a consciência pudesse ser observada em suas múltiplas dimensões e potencialidades.

A transpessoal nos convida a uma transformação alquímica de nossas almas.

SOBRE – HERMES TRISMEGIO

Hermes Trimegio na mitologia grega era um dos deuses do Olimpo, filho de Zeus e de Maia, um amor adulterino. Maia ninfa filha de Atlas e Pleione. Maia a mais jovem das plêiades da mitologia grega. Hermes possuidor de vários atributos. Divindade muito antiga na historia pré- Grécia antiga, entre, tudo que lhe era atribuído umas delas eram deus da fertilidade, dos rebanhos, da magia, da divinação. Hermes era irmão do deus Apolo. Dizem também que Hermes inventou o fogo os sacrifícios, as sandálias mágicas e a lira. Foi um dos deuses mais populares da antiguidade clássica, teve muitos amores, e gerou prole numerosa. Com o advento do cristianismo, chegou a ser comparado a Cristo em sua função de interprete dos lagos. A figura de Hermes e de seu principal distintivo, o Caudeu, ainda hoje são conhecidas e usadas por seu valor simbólico, e vários autores o consideram a imagem tutelar da cultura ocidental contemporânea.

O mito Hermes apareceu pela primeira vez em tabuletas escritas em Linear B pela civilização Micênica, há mais de mil anos antes de Cristo.

Hermes entre outras coisas era escriba e, mensageiro dos deuses, no Egito Helenístico, Hermes era tido como o autor de um conjunto de textos sagrados, ditos “herméticos”, contendo ensinamentos sobre artes, ciência, religião e filosofia.

- O Corpus Hermeticum, cujo propósito seria a definição da humanidade através do conhecimento de Deus.

- O Corpus Hermeticum, datado provavelmente do século I ao século III, representou fonte de inspiração do pensamento hermético e neoplatonico renascentista. Na época acreditava-se que o texto remontasse à antiguidade Egípcia, anterior a Moisés e que nele estivesse contido também o prenuncio do cristianismo. Costuma-se creditar a Hermes Trimegio o Livro dos Mortos ou o Livro da Saída de Luz, além do mais famoso texto alquímico, “A Tábua de Esmeralda”.