Visualizações

Visualização criativa é uma técnica que esta difusa em várias áreas e correntes, terapêuticas. A PNL tem muito de visualização em suas técnicas, principalmente quando trabalha com mudança de submodalidade.


A visualização é um reprocessamento mental. Toda percepção e pensamento atinge o corpo, a mente, o aprendizado e o comportamento, a visualização trabalha para que, possamos fazer muito a partir de uma pequena transformação mental. Uma mente estressada, tensa e agitada se torna muito barulhenta para ouvir a intuição. O primeiro passo para aprender a escutar a própria intuição é aprender a verdadeira tranquilidade mental e emocional.

As visualizações são empregadas no auxilio de muitos tipos de traumas,como: imagens de enfrentamento, nos quais o cliente se percebe encarando de frente com resultado positivo as situações difíceis. A visualização de enfrentamento neste caso esta sendo usada para corrigir o pensamento passivo de evitação. Visualizações relaxantes, que inclui cenas da natureza e imagens afetivas, são bastante utilizadas para trabalhar pensamentos de ansiedade causados pelo medo.

Na visualização de aptidão ou habilidades o cliente se ver realizando seus afazeres perfeitamente, com sucesso, devemos fazer uso desta abordagem quando percebemos o sentimento irracional de desamparo e fracasso. Visualizações brandas, que são apropriadas no condicionamento aversivo de fuga ou evitação para ajustar comportamentos negativos. Visualização com imagens idealizadas, que utilizadas quando o cliente não tem a capacidade de pensar em seus objetivos para sua vida, nem no presente atual, ou futuro próximo e distante. Imagens recompensadoras, que reforça o pensamento realista. Visualização utilizando a técnica da imaginação pode ser trabalhada com crianças que sofrem de fobias. Ela consiste no uso de imagens emotivas que inibem a ansiedade, que ativam a sensação de auto-estima, afetividade, serenidade,  auto-confiança, alegria, liberdade e auto-afirmação.

Visualização com a técnica de imaginação racional emotiva (IRE), transforma as percepções gerais do cliente. Nesta técnica o cliente deve ser levado a visualizar minuciosamente situações desagradáveis que possam ter vivenciado para ter maior clareza para identificar os sentimentos que estão associados a este momento de trauma. Em seguida estratégias terapêuticas serão usadas para transformar os sentimentos negativos em positivos, para que o cliente equilibre e harmonize seu corpo físico, emocional, mental e espiritual reequilibrando assim o seu eixo.

Os interesses pelas visualizações mentais sempre estiveram presentes no desenvolvimento humano e cultural, caminhado por várias áreas, desde a filosofia, as artes e a religião. Na terapia, o auxilio das imagens possibilita a integração do pensamento linear (racional/objetivo) e sistêmico (simbólico/subjetivo), podemos dizer que o pensamento por imagens e, não-lógico, não-linear, não-verbal, mesmo quando se objetiva a compreensão racional.

A pesquisa das imagens psíquicas é de extrema importância para os terapeutas da atualidade. Nos dias atuais as questões referentes as imagens mentais são cada dia mais relatadas e podemos até pensar que todas as tendências terapêuticas da modernidade, estão fazendo uso desta abordagem tão milenar, mas que veio crescendo e se desenvolvendo a cada dia mais, nos hospitais, nas terapias de grupo, em clínicas que constatam a eficácia de se trabalhar com a imaginação, através da visualização. O uso de uma abordagem mais ou menos consciente, visualizações e imagens psíquicas no sentido regressivo, patológico ou perturbador, e a visão interpretativa, reducionista e sem potencia é substituída por uma visão interpretativa, expansiva, ampliadora e que potencializa.

Um ressumo que retrata um pouco da abordagem trabalhada nas visualizações, nas imagens psíquicas no decorrer das jornadas terapêuticas.

PALAVRAS CHAVES – Imagens mentais, Imagens psíquicas, fantasia, imaginação, expansão, ampliação, visualização.

 

SONHOS

“Os sonhos dão informações muito interessantes a quem quiser compreender seu simbolismo... o sentido da vida não é explicado pelos negócios que se faz, assim como os desejos do coração não são satisfeitos por uma conta bancária.”

Carl Gustav Jung

“O sonho ajuda no equilíbrio da psique (mente), trazendo a consciência conteúdos inconscientes apontando o caminho para o desenvolvimento do ego.”

“Sonhos ajudam a realizar o potencial de vida que existe em todos nós e, mesmo que não sejam interpretados, são de grande ajuda para nosso equilíbrio psicológico.”

Carl Gustav Jung nasceu em 1875, numa pequena cidade da Suíça. Na sua biografia Jung relata vários sonhos, os primeiros de quando era criança. Ele sempre valorizou bastante o trabalho com os sonhos na tentativa de interpretá-los.

 

CRIATIVIDADE

O conceito de criatividade é complexo devido ao fato de se tratar de um fenômeno multidimensional. Ao pesquisar as muitas tentativas de compreensão da criatividade podemos averiguar que existe uma enorme quantidade de olhares sobre os aspectos ou facetas da criatividade, ora enfoca o ser criativo, ora seu processo, em outras vezes o tipo ou quantidade do produto, ou ainda a qualidade do ambiente que estimula ou cerceia a criatividade. A visão da criatividade sob uma perspectiva integrada e multidisciplinar parece, portanto, ser a jornada mais aconselhável para àqueles que pretendem transformar, melhorar a sua dinâmica devido a natureza complexa da criatividade, muitos são os desafios na procura das medidas que possam compreende-la. Esforços têm sido feitos na busca de estratégias e instrumentos que possam melhorar e compreender o fenômeno criativo, utilizando-se tanto de metodologias qualitativas como quantitativas. Embora cada uma destas abordagens de pesquisa possa ter limitações, tais procedimentos ao nosso ver, podem ser compreendidos como complementares, desde que se procure respeitar os parâmetros científicos que implica na construção de conhecimento sobre uma determinada área, tão importante quanto a criatividade. É necessário, toda via, que se adote uma postura de que não existe uma única medida, aceita universalmente, que explique, compreenda e aceite totalmente o que é, ou venha a ser, a criatividade.